In Artigos

Termoresistências são sensores de temperatura que operam baseados no principio da variação da resistência elétrica de um metal em função da temperatura, sendo fabricados com fios de alta pureza de platina, níquel ou de cobre.

Suas principais características são a alta estabilidade mecânica e térmica, resistência a contaminação, relação de resistência x temperatura praticamente linear, desvio com o uso e envelhecimento desprezíveis, além de alto sinal elétrico de saída. O Sensor de resistência de platina é o modelo de laboratório e padrão mundial para medidas de temperatura na faixa de -270ºC à 962ºC. Para a utilização industrial é um sensor de inigualável precisão, estabilidade e sensibilidade.

 

Características das Termoresistências

A termoresistência industrial de platina (TIP) é a mais utilizada na indústria devido a sua grande precisão e estabilidade. Conhecida como Pt-100 industrial, a termoresistência de platina apresenta uma resistência ôhmica de 100 OHMS a 0ºC. Sua faixa de trabalho vai de -200ºC a 850ºC, conforme norma ABNT NBR 13773.

Limites de erros da Termoresistência (Pt-100)

A seguir apresentamos os limites de erros para as classes A e B de acordo com a norma NBR 13773.

 

Temperatura °CTolerância
Classe AClasse B
±°C± ±°C±
-2000,550,241,30,56
-1000,350,140,80,32
00,150,060,30,12
1000,550,130,80,3
2000,750,21,30,48
3000,950,271,80,64
4001,150,382,30,79
5001,350,432,80,93
6001,450,463,31,06
650  3,61,13
7003,81,17
8004,31,28
8504,61,34

 

Tipos mais utilizados:

  • Termoresistências de platina Pt-100, Pt-1000
  • Termistores PTC e NTC.
  • Outros tipos: níquel e cobre

Como identificar uma termoresistência:

Por norma, quando se fala de uma termoresistência, ela é identificada pelo material que a constitui e pela resistência que apresenta a 0 °C, por exemplo, uma Pt-100 será uma termoresistência de platina que a 0 °C apresenta uma resistência de 100, ao passo que uma Ni-500 será uma termoresistência de níquel que a 0 °C apresenta uma resistência de 500 .

Vantagens em relação aos termopares

  • Dentro da sua faixa de utilização é muito mais precisa que o Termopar.
  • Com as devidas interligações aos equipamentos adequados, pode ser ligada a qualquer distância.
  • Para interligar ao instrumento são usados fios de cobre comum.
  • São muito mais estáveis que os Termopares.
  • Estando corretamente protegidas com tubos de proteção, poços, adaptam-se em qualquer ambiente.
  • Sua curva de resistência ôhmica/ temperatura é mais linear que os Termopares.

Desvantagens em relação aos termopares

  • São mais caras do que os sensores utilizados nessa mesma faixa.
  • Deterioram-se com mais facilidade, caso haja excesso na sua temperatura máxima de utilização.
  • Temperatura máxima de utilização 630 °C.
  • É necessário que todo o corpo do bulbo esteja com a temperatura equilibrada para indicar corretamente.
  • Alto tempo de resposta.

Sobre a ADD THERM

Empresa Brasileira fundada em 2003, fabricante de produtos para medição e proteção térmica para máquinas, equipamentos em geral e automotivos.

Apresentação ADD THERM

Baixe a Apresentação Institucional

Depois de anos de experiência dos fundadores em medição e proteção térmica e de engenharia de aplicações, no ano de 2003 começamos nossa produção de sensores de temperatura afim de atender a demanda de fabricantes de máquinas e equipamentos que dependiam de importações de produtos para medição e proteção térmica para suas aplicações.

Com inovações e expansões, a capacidade de produção levou a expansão da linha de produtos da ADD THERM, subdividindo em dois grupos de produtos, medição térmica e proteção térmica, tornando um dos principais fabricantes de produtos para controle e medição térmica do mercado brasileiro.

btn-orcamento-blog



Mídias Sociais ADD THERM


Gostou? Então enriqueça este artigo com seu comentário, registre a sua opinião e compartilhe conosco suas experiências!

Recent Posts

Leave a Comment

2 × cinco =

Start typing and press Enter to search